Jorge Lucio de Campos

DATOS BIOGRÁFICOS:

Nascido no Rio de Janeiro em 15 de setembro de 1958, formou-se em Filosofia, em 1981, pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) onde ainda cursou (de 1982 a 1996) o Mestrado (Estética) em Filosofia, o Doutorado e um Pós-Doutorado (História dos Sistemas de Pensamento) em Comunicação e Cultura. É Professor de Teoria e Crítica da Comunicação e da Cultura, de Estética e de Teoria da Arte Contemporânea na Escola Superior de Desenho Industrial (ESDI) da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) e consultor ad hoc (assessor técnico-científico) da FAPERJ. Como ensaísta, publicou, além dos verbetes relativos à arte brasileira do Dicionário Oxford de Arte, de Ian Chilvers, Harold Osborne e Dennis Farr (Martins Fontes, 1996), os livros Do Simbólico ao Virtual: A Representação do Espaço em Panofsky e Francastel (Perspectiva/EdUERJ, 1990) e A Vertigem da Maneira: Pintura e Vanguarda nos Anos 80 (Diadorim/EdUERJ, 1994), relançado como A Vertigem da Maneira: Pintura e Pós-vanguarda na Década de 80 (Revan, 2002). Como poeta, publicou as coletâneas Arcangelo (EdUERJ, 1991), Speculum (EdUERJ, 1993), Belveder (Diadorim/UNESA, 1994), A Dor da Linguagem (Sette Letras, 1996), À Maneira Negra (Sette Letras, 1997) e tem, inéditas, Lição de Alvura, Ausência de Lis, Abraçar Ordenhar Aleitar, Devoração e Palimpsestos. Possui uma página na internet onde disponibiliza parte substancial de sua produção ensaístico-literária: